Guia de apoio às populações indígenas da grande Florianópolis

Queridos(as) amigos(as),

Como forma de colaborar para a multiplicação de ações (de diversas redes) em apoio às aldeias indígenas da Grande Florianópolis nesses tempos difíceis da pandemia da Covid-19, compartilhamos abaixo um relato de experiência que visou efetuar uma compra de alimentos como doação à Aldeia Guarani Tekoa Tava’i, no município de Canelinha, SC.

Trata-se de uma via segura do ponto de vista sanitário de apoio às populações indígenas da região, uma vez que conta com o suporte da Secretaria Especial de Saúde Indígena do Ministério da Saúde (SESAI-MS). As populações indígenas estão no grupo de risco da pandemia da Covid-19, e todo cuidado é pouco. A mediação da SESAI é fundamental nesse sentido.

1) A iniciativa partiu de contato pessoal com o cacique da aldeia de Canelinha. O Cacique é nosso amigo e entramos em contato com ele para saber como eles estavam na aldeia (em meio ao contexto da pandemia), se estavam precisando de alguma ajuda. O Cacique nos disse estar preocupado com o abastecimento de alimento. Frisamos a fundamental importância de tal tipo de ação estar baseada em uma relação direta com o Cacique (nesse caso), pois assim parte de reais necessidades dos indígenas. Claro que doações feitas diretamente a SESAI ou a FUNAI são importantes também, mas estariam desprovidas de vínculos com as necessidades expressas pelos próprios indígenas diretamente. Algo que consideramos muito importante.

2) No nosso caso, contamos com o apoio do grupo do Instituto Caminho do Meio/ Canelinha para debater o procedimento, incluindo o olhar de uma colega funcionária da FUNAI. O debate em grupo é importante pois, enriquecido pelo olhar de várias pessoas, tende a encontrar soluções diversas e alertar para dificuldades e problemas que dificilmente uma pessoa apenas poderia ver.

3) Em seguida, entramos em contato com a SESAI e combinamos a forma e o local em que entregaríamos a doação. No nosso caso, queríamos que a doação fosse encaminhada para uma aldeia específica, mas certamente não haveria problemas se não fosse assim. A SESAI entregou rapidamente a doação para a aldeia que escolhemos ajudar por serem nossos amigos.

4) Contamos com a generosidade de um amigo que adiantou a soma da compra. Isso agilizou o processo, pois permitiu efetuar a compra em caráter emergencial. Pode-se também coletar as contribuições e posteriormente efetuar a compra (com a diferença que tende a levar mais tempo para arrecadar os recursos – no nosso caso esse tempo teria sido de uma semana pelo menos).

5) Contamos com o apoio de um outro amigo, que trabalha como chefe de cozinha e sabe calcular proporções de alimentos para grande quantidade de pessoas. No nosso caso, planejamos a compra pensando em uma semana de mantimentos para 80 pessoas da aldeia. Nossa lista pode servir como referência para outras ações. Ela pode ser acessada clicando aqui.

6) Em seguida, efetuamos a compra (em um supermercado atacadista). Nossa compra teve o valor aproximado de R$900 (pensando em uma semana de abastecimento alimentar básico para 80 pessoas).

7) Por fim, levamos diretamente a compra para o pessoal da SESAI na sede do Polo Base do DSEI (Distrito Sanitário Especial Indígena) em São José, SC, que por sua vez entregou a doação para a aldeia de Canelinha. Esse é um ponto chave. Vale ressaltar novamente que a entrega das doações via SESAI é uma questão de segurança sanitária. Uma vez que, como afirmamos as populações indígenas estão no grupo de risco da pandemia da Covid-19, e todo cuidado é pouco.

8) A divulgação da campanha se deu por meio de listas de transmissão no whatsapp inicialmente a partir dos contatos pessoais de membros do Instituto Caminho do Meio Canelinha.

Segue como sugestão/ exemplo o texto base que utilizamos na divulgação:

Queridos(as) amigos(as). Em meio à pandemia do Coronavírus, dentre as várias populações em dificuldades estão os grupos indígenas, incluindo nossos amigos da aldeia Guaraní Tekoa Tava’i em Canelinha (SC), hoje com uma população de 80 pessoas. O apoio dos órgãos governamentais segue, mas em momentos de crise é mais difícil conseguirem atender todas as demandas.
Desse modo, um grupo de pessoas ligadas ao recém-criado Instituto Caminho do Meio Canelinha (icmcanelinha.wordpress.com) entregou à SESAI (Secretaria Especial de Saúde Indígena do Ministério da Saúde), nesta quarta-feira (25/03), em caráter de urgência, uma doação de alimentos destinados à aldeia Guarani Tekoa Tava’i. Agradecemos de coração a todos que desejarem apoiar essa ação por meio de doações que possibilitem cobrir os custos da compra, que alcançou o valor total de R$ ———– Caso nossa arrecadação seja maior que o valor da compra, efetuaremos nova compra de alimentos para a aldeia.
Os dados bancários para doações são do colaborador do Instituto Caminho do Meio que gentilmente adiantou os valores da aquisição. São os seguintes: ————————– Sugerimos o envio dos comprovantes para o ——————- para fins de organização fiscal e prestação de contas. Os registros da ação (fotos e nota fiscal) estão no link abaixo (pasta do google drive). Assista também o vídeo no início dessa mensagem com o pedido de ajuda do Cacique.

9) Por fim, abaixo está o contato da coordenadora do Polo Base do DSEI da SESAI em São José. O nome dela é Beatriz. Ela gentilmente forneceu seus contatos para divulgação e articulação desta nossa iniciativa. 

Maria Beatriz da Rosa

Telefone: 48988122275

Email: maria.darosa@saude.gov.br

Como contato do Instituto Caminho do Meio/ Canelinha oferecemos o nome de Fausto, telefone: (48) 999075246 (whatsapp)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s